• Clique Aqui
  • Clique Aqui

Archive for Setembro 2011

,

Ricardo Teixeira passa noite em hospital

Ricardo Teixeira já não se queixa mais das dores abdominais que o levaram a ser internado ontem, no Hospital Pró Cardíaco, Rio de Janeiro. De acordo com o primeiro relatório da assessoria de imprensa do hospital, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) passou bem a madrugada desta sexta-feira (30).
Teixeira tem 64 anos e é cardíaco. A previsão é que ele ainda fique em observação durante todo o dia. Existe uma suspeita de diverticulite (inflamação no divertículo, que é uma bolsa circular da parede do cólon e que tem ligação com o intestino grosso). Apesar disso, a alimentação do paciente segue normal.
Será feito um check-up geral, devido ao seu histórico de problemas cardíacos, segundo o hospital. O dirigente se alimenta bem e não há dieta com restrições.
Ricardo Teixeira estava lúcido quando chegou ao hospital, acompanhado pelo cardiologista Jorge Castro Yperez. Em outubro de 2004, Teixeira foi ao mesmo hospital para fazer uma angioplastia, técnica utilizada para desobstruir artérias e placas de gordura dos vasos sanguíneos. Três anos antes, Teixeira já havia feito uma operação do mesmo tipo na coronária esquerda.
A assessoria do Pró Cardíaco também informou que mais detalhes só serão divulgados com o consentimento do próprio Teixeira ou de sua esposa, Ana Carolina Wigand Teixeira.
(DOL, com informações do Band.com e Agência Estado)

,

Justiça considera greve dos professores abusiva

A greve dos professores estaduais foi considerada abusiva pela Justiça paraense. A ação foi ajuizada pelo governo estadual, alegando que os professores não notificaram oficialmente a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) sobre a deflagração da greve.
O juiz da 1ª Vara de Fazenda da Capital, Elder Lisboa, concedeu liminar ao governo estadual, determinado ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp) que assegure 50% das salas de aula funcionando, entendendo o magistrado que a greve que começou na segunda-feira poderá causar dano irreparável à população. Além de considerar o movimento abusivo, o juiz determinou multa de R$ 10 mil diários se houver desobediência dos professores à decisão.
O juiz também entende que a paralisação das aulas da rede pública estadual de ensino está penalizando os alunos, que já enfrentaram greves anteriores e que o governo vem debatendo a discussão salarial com o Sintepp, portanto, a greve não seria o melhor instrumento neste momento, se referindo aos prejuízos para os estudantes com as sucessivas greves.
“A atividade em questão é essencial e a sua não prestação atinge a milhares de crianças e adolescentes que, sem aulas, ficam privadas não somente de adquirir o saber, mas também passam a ficar em situação de risco, já que sem nenhuma ocupação durante o dia, são presas fáceis do mundo das drogas e do crime”. Elder Lisboa também ressaltou no despacho que o interesse social maior deve ser protegido, mas disse que reconhece a difícil situação dos professores.
Apesar disso, segundo o assessor jurídico do Sintepp, Walmir Brelaz, o magistrado concedeu a liminar ao Estado sem sequer ouvir os argumentos dos professores, apenas com as alegações do Estado. O advogado também afirmou que o Sintepp ainda não foi notificado pela Justiça sobre a liminar e que assim que for informado oficialmente vai recorrer contra a medida ao Tribunal de Justiça do Estado.
INFORMAÇÕES
O Sintepp deverá pedir informações ao magistrado sobre a manutenção dos 50% das aulas, porque para os professores não ficou claro, segundo o assessor jurídico, como será cumprida essa medida. Para ele, diferente dos serviços considerados essenciais pela Constituição, como água, luz, transporte público e outros, fica difícil definir que professores vão cumprir a liminar.
Walmir Brelaz assegura que a negociação, ao contrário do que foi citado no despacho do juiz, chegou ao ponto desgastante e que assegura que a Seduc foi notificada por escrito pelo Sintepp sobre a deflagração da greve, como determina a legislação. Ele ressalta que a greve é contra o Estado e não contra governo e que o piso foi instituído desde 2008 pela Lei 11.738, portanto, a previsão de pagamento já deveria ter sido feita pelo poder público.
No entanto, a secretária estadual de Administração, Alice Viana, afirma que não há mais nenhuma condição do Estado ofertar mais algum ganho sobre os salários dos professores. Ela conta que o secretário especial de Promoção Social, Nilson Pinto, se reunirá hoje em Brasília com o ministro da Educação, Fernando Haddad, onde deverão tratar sobre a solicitação do governo paraense de complementação financeira do piso salarial dos professores.
A secretária enfatiza que o governo implantou o Plano de Cargos, Carreira e Salá-
rios da Educação (PCCR) este mês e reitera que a administração estadual está disposta ao diálogo com os professores. A Seduc monitora diariamente as escolas no período da greve e assegura que somente 18% aderiram ao movimento. Ao contrário disso, o Sintepp afirma que a greve atingiu a maioria das escolas.

,

Assaltante tenta estupro e apanha de populares

Depois de assaltar dois moradores de rua, o desocupado Pedro de Araújo, 19 anos, escondeu-se em uma casa da Vila Farah, na avenida Governador José Malcher, São Brás, ontem, no final da madrugada. Logo em seguida, ele entrou no domicílio e tentou estuprar uma senhorita, moradora local, sendo flagrado pelo dono da casa que reagiu e passou a espancá-lo.
Pedro conseguiu escapar e correu para a rua, mas foi perseguido pela vítima e seus vizinhos, sendo alcançado em uma grande loja, na avenida Governador José Malcher, esquina da travessa 14 de abril, e ali foi impiedosamente espancado, sofrendo vários ferimentos.
Caído no cimento do estacionamento da loja, ele foi socorrido por policiais militares da 2ª ZPol, que evitaram que fosse morto, no quase linchamento a que era submetido. Foi levado ao hospital do PSM Umarizal e posteriormente apresentado na Seccional São Brás, onde foi autuado em flagrante delito.
Todas as suas vítimas, inclusive os moradores de rua e uma dona de casa que também o reconheceu como o homem que a atacou em uma parada, prestaram depoimento contra o acusado, que permaneceu o tempo todo calado, sem negar ou confirmar as acusações que lhes eram feitas. 
(Diário do Pará)

,

Programação consolida mineração responsável

Uma mineração responsável é aquela que além de seguir as normas internacionais e contribuir com as aspirações do país, também considera as expectativas da comunidade local e faz dela uma aliada, e não inimiga. Esse foi o ideal consolidado ontem no encerramento do 14º Congresso Brasileiro de Mineração, realizado em Belo Horizonte (MG).
Debatendo a sustentabilidade no setor, investimentos em tecnologias e responsabilidade social, o último dia do evento propôs algumas mudanças nos processos atuais, principalmente no que diz respeito à participação popular. “Ouvir a comunidade faz muita diferença nos resultados dos projetos minerais. Apesar do aval legal, as empresas não podem operar com sucesso sem o que chamamos de ‘licença social’. É preciso mais do que audiências superficiais. Temos que passar da consulta para o consenso”, explicou o palestrante Luke Danielson, diretor de um grupo americano de Desenvolvimento de Estratégias Sustentáveis. Segundo ele, qualquer projeto de exploração de recursos naturais deve prever direitos legais às comunidades atingidas, direta ou indiretamente.
“Governo, empresas e sociedades precisam formar parcerias, pois somente com o diálogo será possível alcançar a eficiência produtiva”, afirmou. Para a procuradora-chefe do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Alice Serpa Braga, um caminho para a nova dinâmica seria estabelecer algumas normas básicas que tornassem, por exemplo, obrigatórias as consultas sociais.
“A comunidade não pode ser ouvida somente durante o licenciamento ambiental. A exploração mineral tem que promover desenvolvimento local, garantir renda para a população e se preocupar com o uso sustentável da natureza”, frisou. Proposta que levantou dúvidas no gerente socioambiental da Vale, Thales Teixeira. “Existem casos de regulamentações desse tipo, feitas em outros países latino-americanos, que trouxeram muitos problemas. É uma ação que acaba gerando conflitos internos e mais burocracia. Os povos têm que ser parte do processo, mas o Estado é soberano e possui a palavra final”, disse no debate.
Além das questões socioambientais, outro ponto que mereceu destaque foi os altos custos operacionais no Brasil. Com carga tributária elevada, energia cara e necessidade de investimentos privados, algumas empresas garantem que o país perde competitividade no mercado mundial.
“O Brasil tem a terceira maior reserva de bauxita do mundo, mas se o cenário econômico interno não mudar existe a possibilidade de empreendimentos serem fechados. Vamos passar de exportadores, para importadores, especialmente dos produtos vindo da China”, explicou Ayrton Filleti, representante da Associação Brasileira de Alumínio.
PODER
Nos quatro dias de Congresso, mais de 2.000 pessoas e 400 expositores comprovaram que junto com o anúncio de bilhões de reais em investimentos, a mineração é uma economia poderosa.

,

Festa do Super POP, em São Miguel do Guamá.








,

Romaria Fluvial de São Miguel Arcanjo.


















,

Governo propõe criação de Sistema de Meio Ambiente

O Governo do Estado do Pará deverá descentralizar e regionalizar o processo de licenciamento ambiental. A proposta para transferir responsabilidades cabíveis aos municípios e a criação de 12 regionais da Secretaria de Meio Ambiente (Sema) está presente na mensagem enviada, na última quinta-feira, 22, pelo governador Simão Jatene para o legislativo estadual.

As novas ações para a descentralização e regionalização do licenciamento foram anunciadas ontem, durante o 14º Congresso Brasileiro de Mineração, pela diretora de licenciamento ambiental da Sema, Lúcia Porpino. O congresso, realizado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), debate - até o próximo dia 29, na capital mineira de Belo Horizonte - o presente e o futuro da atividade mineral.

A mensagem encaminhada pelo governador ao legislativo propõe a criação do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Sisema, que entre outras medidas deverá criar o Instituto de Águas e Mudanças Climáticas, além de vincular o Instituto de Desenvolvimento Florestal do Pará (Ideflor) a Secretaria de Estado de Meio Ambiente.

Segundo a diretora da Sema, o Sisema pretende modernizar e agilizar todo o processo do licenciamento ambiental, acompanhando o dinamismo do setor produtivo, em específico da atividade mineral. “O Sistema propõe a modernização da legislação ambiental do Estado do Pará, que foi criada há 16 anos e que já não acompanha a evolução dos conceitos sobre meio ambiente”, justificou a diretora.

O anúncio da criação do Sisema aconteceu justamente no mesmo dia em que o 14º Congresso Brasileiro de Mineração apresentava o processo de aceleração da demanda mundial por minérios, em especial pela China. O país asiático, segundo Colin Ronald Pratt, diretor da CRU Strategies, empresa de consultoria econômica do Reino Unido, deverá responder, nos próximos quatro anos, por 50% do consumo de vários metais importantes como cobre, zinco, alumínio, níquel, zinco, estanho e chumbo. “É preciso aproveitar enquanto a situação está boa, com a China comprando. A construção de infraestrutura na China não chegou nem à metade da necessidade. Há muito potencial de crescimento, ainda mais que o movimento migratório do campo para as cidades é imenso”, analisou Pratt.

,

Fãs de Jackson protestam no julgamento de médico acusado da morte do cantor

Conrad Murray era o médico pessoal do cantor, e foi contratado apenas seis semanas antes da sua morte. Ele nega as acusações de homicídio culposo.

Fãs do cantor Michael Jackson se reuniram nesta terça-feira em frente ao tribunal onde o médico acusado pela morte do músico está sendo julgado, em Los Angeles. Veja o vídeo.

Familiares de Jackson foram ao primeiro dia do julgamento. Eles culpam Conrad Murray pela morte do 'Rei do Pop' em 2009.

Murray era o médico pessoal do cantor, e foi contratado apenas seis semanas antes da sua morte.

Ele evitou a imprensa em sua chegada ao tribunal, e nega as acusações de homicídio culposo.

O primeiro dia de julgamento se concentrou nas últimas horas de vida de Michael Jackson e no uso do anestésico cirúrgico propofol, que causou a morte do cantor.

Jackson tinha mais de vinte miligramas da substância em seu organismo. Ele estaria usando o remédio para combater a insônia.

O júri irá decidir quem administrou o medicamento: o médico ou o próprio músico.

Quando morreu, Jackson estava se preparando para o início de uma série de shows em Londres. Com eles, o astro esperava voltar a brilhar, depois de ficar doze anos longe dos holofotes.

Os advogados do médico dizem que o cantor deve ter injetado, ou então tomado por via oral, uma dose extra do remédio.

A acusação, por sua vez, diz que a omissão e a negligência do médico levaram diretamente à morte prematura de Jackson.

,

Polícia apreende mais de 20 mil mídias piratas

Operação realizada pela Polícia Civil de Parauapebas, sudeste do Estado, neste terça-feira (27), resultou na apreensão de vinte mil mídias com reproduções ilegais, conhecidas por "piratas". Os produtos estavam na área do comércio do município. A localização de pontos de venda das mídias aconteceu durante ação policial sob comando do delegado Antônio Miranda Neto, diretor da 20ª Seccional Urbana de Parauapebas.

A abordagem de locais de venda dos produtos ilegais foi feita nas imediações de agências bancárias situadas na Rua "E", bairro Cidade Nova. As midias apreendidas foram encaminhadas para perícia e posteriormente serão destruídas mediante autorização judicial.

De acordo com dados da Polícia Civil em Parauapebas, no ano de 2011, foram apreendidas cerca de 60 mil mídias "piratas" na cidade. Todos os produtos foram destruídos por meio de autorização judicial. (Ascom Polícia Civil)

,

Analistas aprovam vagões produzidos no Pará

O primeiro vagão produzido por uma empresa paraense foi aprovado por analistas de operações da ferrovia de Carajás da Vale durante uma visita técnica realizada na última segunda-feira, na sede da Oyamota do Brasil, no município de Castanhal. Na inspeção, os técnicos aprovaram o inicio da fase de testes na ferrovia que liga a mina de ferro de Parauapebas ao porto de Itaqui no Maranhão.

“Nossas expectativas eram grandes e foram correspondidas, em relação à qualidade do vagão.” afirmou Edilson Pinheiro, um dos analistas da Vale. Para ele a parceria entre a Oyamota e a Qiqihar Railway Rolling Stock, grupo chinês líder mundial na tecnologia de produção de vagões, foi estratégica para o início de uma produção com qualidade no Pará.

De acordo com os analistas, o novo negócio de produção de vagões pode, não só atender a demanda da Vale, como também aumentar a competitividade do Estado com a venda para outras regiões do país. “Sempre fomos favoráveis ao desenvolvimento desta tecnologia na região que agrega não só para o fornecedor como também para o cliente.” Afirmou Valdinewton Campos, analista da Vale.

Etapa final
Durante o dia de hoje (27), a equipe técnica da Oyamota e da Qiqihar Railway Rolling Stock trabalharam intensamente para realizar algumas modificações e adequações finais no projeto para que os vagões comecem a rodar na ferrovia. Após essas alterações os técnicos chineses, que integraram-se a equipe paraense durante um mês para transferência da tecnologia de fabricação e montagem de vagões, retornará a China.

“Foi uma experiência multidisciplinar e intercontinental para produzir o primeiro vagão paraense. A parceria integrou engenheiros e técnicos da China e do Pará na busca da fabricação de um produto ideal para atender a demanda local e nacional. Estamos felizes com o resultado e motivados com os frutos que virão desta parceria”, afirmou Ivo Petta, diretor da Oyamota.

Através de interprete, o chefe da equipe chinesa, Ma Min Jian, avaliou positivamente a parceria e ressaltou ainda que o Pará, tem condições de se especializar e crescer na fabricação de vagões. (Ascom Oyamota)

,

Professores se acorrentam dentro do plenário na Assembleia em MG

Eles entraram no local nesta segunda-feira (26) durante um debate público.
Tropa de choque da PM está no local, segundo assessoria da ALMG.

Cerca de 30 professores estão acorrentados nesta terça-feira (27) dentro do plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Os manifestantes entraram no local nesta segunda-feira (26) quando acontecia um debate público da Comissão de Direitos Humanos. A greve dos servidores da educação já dura 112 dias.

Segundo assessoria de imprensa da Assembleia, a tropa de choque da Polícia Militar está na porta do local por medidas de precaução. De acordo com Sindicato Único dos Trabalhos em Educação em Minas Gerais (Sind-UTE/MG), os professores informaram que só vão deixar o local depois que o governador aprovar o piso salarial. Eles afirmaram ainda que escolheram a Assembleia porque foi lá que o governador encaminhou o projeto de lei dos subsídios.

Processo administrativo contra designados
Foi publicado nesta terça-feira (27) no Diário Oficial do Estado a decisão do Governo de Minas de abrir um processo administrativo contra os 248 professores designados, não concursados, que ainda participam da greve da categoria.

A secretaria diz que a medida é contínua à resolução publicada na última quarta-feira (21), de que estes profissionais deveriam voltar às salas de aula em 48 horas, prazo que expirou na sexta-feira (23).

Segundo a secretaria, ao todo, 8.182 servidores estão parados até esta segunda-feira (26). Eles reivindicam que o estado cumpra lei federal que determina o piso salarial da categoria em R$ 1.187 para jornada de 40 horas.

No processo, os servidores vão receber notificações individuais por escrito, que serão enviadas pelas Superintendências Regionais de Ensino para as casas de cada professor.

A partir de quarta-feira (28), segundo a secretaria, serão criadas comissões que vão analisar cada caso em sindicância. Elas serão responsáveis pela notificação, pelo recebimento da defesa de cada professor e pelo encaminhamento de um relatório. Ainda segundo a secretaria, no deste processo, o professor designado pode ser afastado do quadro de professores estaduais, caso sua defesa não consiga justificar a falta durante os dias em greve.

STF
O Supremo Tribunal Federal (STF) indeferiu, nesta segunda-feira (26), um recurso protocolado pelo Sindicato Único dos Trabalhos em Educação em Minas Gerais (Sind-UTE/MG) contra liminar que determina a suspensão imediata da greve da categoria e exige o retorno dos professores às suas funções. A decisão foi do desembargador Roney de Oliveira do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) em audiência no dia 16 de setembro.

O Sind-UTE disse que vai procurar, na próxima quarta-feira (28), a ministra do STF, Carmen Lúcia, para pedir que ela reconsidere a decisão sobre a liminar e garanta o direito de greve de toda a categoria, inclusive os designados.

Entenda o caso
Servidores da educação de Minas Gerais estão em greve desde o dia 8 de junho. A categoria reivindica piso salarial de R$ 1.597,87 para jornada de 24 horas e Ensino Médio de escolaridade. De acordo com o sindicato que representa os servidores estaduais, o valor defendido segue cálculo da Confederação Nacional dos Trabalhadores de Educação (CNTE). Para tentar dar fim à greve, o sindicato já havia informado que admitiria discutir o piso de R$ 1.187, estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC).

No dia 6 de setembro, o governador Antonio Anastasia encaminhou à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) o Projeto de Lei número 2.355/11, que prevê mudanças na política salarial dos servidores da educação do estado. A proposta define piso de R$ 712,20 para os professores da educação que têm vencimento básico menor que este montante. A proposta enviada prevê ainda, para os trabalhadores que recebem no formato de subsídio, o salário inicial de R$ 1.122,00. As mudanças na política salarial dos servidores da educação foram anunciadas no dia 23 de agosto. Se aprovado, o projeto entra em vigor em janeiro de 2012.

De acordo com a Secretaria de Estado de Educação, com a proposta, o governo atende à determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), que estabelece piso salarial nacional para professores da rede pública no valor de R$ 1.187 para jornada de trabalho de 40 horas semanais. A secretaria diz que, como em Minas, os professores da educação básica têm jornada semanal de 24 horas e a legislação prevê a proporcionalidade, a aplicação do valor de R$ 712,20 como vencimento básico atende à interpretação da Lei Federal.

,

Niver do dia direto do Facebook.



Jéssyca Nishiguchi

,

Vereadores votam a privatização do lixo em Belém

Começou, por volta as 11h de hoje (27), a sessão na Câmara Municipal de Belém (CMB) que começa a decidir o projeto, proposto pelo prefeito Duciomar Costa, que visa privatizar o tratamento e o destino das 1.800 toneladas de lixo recolhidas todos os dias na capital paraense.
Neste momento, os 32 vereadores presentes na sessão estão debatendo os prós e contras da aprovação do projeto. Desde a criação, a oposição tem tentado adiar a votação definitiva, alegando que o projeto é inconstitucional e votando diversas emendas que já estavam na pauta da Casa.
O projeto, que inclui esse serviço na Lei 8.847/2011, ou lei das Parcerias Público-Privadas (PPPs), mais uma vez não entrou em pauta, na semana passada, por falta de quórum, uma estratégia da oposição para evitar a votação. Mas esse recurso parece estar se esgotando e o governo só não conseguiu o quórum por um voto na semana passada. A oposição então decidiu apresentar dezenas de emendas para tentar mais uma vez atrasar a votação.
PROTESTOS
Do lado de fora da CMB, desde o início da manhã, movimentos sociais e ambientalistas organizaram um protesto para pressionar os vereadores a votarem contra a privatização do lixo em Belém. Os manifestantes da ONG No Olhar, do Movimento Nacional de Catadores de Recicláveis e ambientalistas usaram carro som, faixas e fizeram uma montanha de lixo em frente à Câmara com o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o problema.
Patrícia Gonçalves, coordenadora da ONG No Olhar, ressalta que o grupo protesta contra a forma que o projeto está sendo conduzido. “Não foi feito um plano de controle social, não foram ouvidas as associações de catadores. Esse é um assunto que precisa ser discutido com toda a sociedade e não entendendo a urgência com que o prefeito está querendo aprovar o projeto”, disse.
Para os manifestantes, a privatização desses serviços vai contra o esforço nacional de implementação da lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos. A lei tem como princípio a responsabilidade compartilhada entre governo, empresas e população e obriga o poder público a realizar planos para o gerenciamento do lixo.
Pela nova lei, os governos municipais têm prazo de dois anos para elaborar um plano de resíduos sólidos, com diagnóstico da situação do lixo e metas para redução e reciclagem, além de dar um fim aos lixões e buscar soluções consorciadas com outros municípios. Devem também identificar os principais geradores de resíduos, calcular melhor os custos e criar indicadores para medir o desempenho do serviço público nesse campo.
Para os ambientalistas e movimentos sociais, a tentativa de aprovar a privatização da gestão do lixo, sem antes construir o plano, dificultará o controle social sobre a atuação das empresas, devido à ausência de indicadores de desempenho e de custo que permitam o acompanhamento da implementação da política no município. Além disso, para o Movimento Nacional de Catadores, a proposta não assegura a participação organizada os catadores na etapa de separação dos materiais recicláveis.
(DOL)

,

Tufão Nesat mata 5 e deixa 4 desaparecidos nas Filipinas

Mortos são uma idosa, três crianças e um bebê.
Ilha de Luzon ainda vai enfrentar tempestades até quarta-feira.

Pelo menos cinco pessoas morreram, quatro desapareceram e centenas de milhares tiveram de recorrer a abrigos nesta terça-feira (27) por causa das inundações e dos fortes ventos provocados pelo tufão Nesat no norte das Filipinas, informaram as autoridades.

O Centro Nacional de Prevenção de Desastres indicou que um bebê morreu após ser arrastado por um rio que transbordou na província de Cataduanes. A rádio oficial filipina informou que uma idosa e seus três netos morreram no interior de um barraco em Manila quando uma árvore caiu sobre a construção.



Outras quatro pessoas adultas foram declaradas desaparecidas em diferentes pontos da ilha de Luzon, a principal do norte das Filipinas e onde o Nesat provoca estragos.

O tufão chegou à ilha de Luzon antes do amanhecer com ventos sustentados de até 140 km/h e rajadas de até 170 km/h, segundo o serviço filipino de meteorologia (Pagasa).

"Este tufão é muito largo, com cerca 650 km, e cobre a maior parte da ilha de Luzon", afirmou o secretário de Ciências, Graciano Yumul.

As aulas estão canceladas desde segunda, e os organismos oficiais, salvo aqueles envolvidos nas operações de salvamento e assistência aos desabrigados, foram fechados na manhã desta terça.

Em Manila, o tufão inundou muitas ruas, deixou amplas áreas da capital sem energia elétrica e o trânsito é impossível em algumas regiões pelas enchentes e árvores que caíram com o vento.

As autoridades tinham ordenado a retirada de 100 mil pessoas na segunda-feira em antecipação à chegada de Nesat no arquipélago composto por mais de 7.100 ilhas.

Segundo o serviço de meteorologia, o tufão causará estragos na ilha de Luzon antes de se deslocar, no final da quarta-feira (28), ao Mar da China Meridional, possivelmente afetando o sul da China no dia seguinte.

Entre 15 a 20 tufões passam pelas Filipinas a cada ano durante a estação chuvosa que, pelo geral, começa em maio e conclui em novembro. Há um mês, Nanmadol, o último tufão que atingiu o país, deixou o saldo de 35 mortos e mais de 400 mil pessoas afetadas.

,

Esquema de tráfico de drogas é desmontado por policiais em Soure


Um esquema de tráfico de drogas que utilizava o transporte fluvial na região da ilha do Marajó foi desarticulado durante operação conjunta das Polícias Civil e Militar, neste final de semana, na cidade de Soure. Denúncia levou guarnição militar comandada pelo sargento Jota Oliveira até a orla do rio Paracauary que margeia o município.
A informação era de que um homem identificado pelo apelido de "Carixá", já conhecido pela prática de venda de drogas na região, estaria com comparsas em um barco em deslocamento para participar de um evento na localidade de Cuieiras, situada na área conhecida por Rio do Saco. Ainda, conforme a denúncia, o suspeito estaria levando drogas para comercilizar na localidade. Diante disso, a guarnição ficou de prontidão às margens do rio até avistar o suspeito ao lado dos comparsas. Ao todo, eram quatro homens que estavam em uma rabeta, pequena embarcação a motor muito comum na região.
Eles foram abordados pelos policiais militares. No momento da abordagem, "Carixá" atirou-se na água para tentar fugir do flagrante, mas foi capturado pelos militares. Ao ser revistado, o acusado estava com um pote de manteiga com 24 "petecas" de pasta base de cocaína. Dessa forma, "Carixá" identificado posteriormente como Edivaldo Bandeira Montello foi conduzido até a Superintendência Regional dos Campos do Marajó, em Soure, onde foi autuado em flagrante por tráfico de entorpecentes pelo delegado Edgar Henrique Monteiro. A droga foi apreendida e encaminhada à perícia.

(Policia civil)

,

Preso depois de um ano e meio em fuga

A cusado de assalto, André Mafyl da Silva Neto, 25 anos, foragido da cadeia de Pacajá, no oeste paraense, foi preso por investigadores da Delegacia de Polícia Civil de Redenção .
A prisão de Mafyl, que há cerca de um ano e meio havia fugido da Delegacia de Pacajá, ocorreu na noite de sexta-feira (23), sob o comando do delegado Carlos Eduardo, que juntamente com sua equipe de investigadores vinha monitorando um grupo de indivíduos suspeitos de estarem cometendo crimes na cidade de Redenção.
André Mafyl foi abordado pelos policiais civis no momento em que chegava a uma residência no Setor Alto Paraná, dirigindo um veículo que a polícia supõem ser produto de roubo.
CONFISSÃO
Após uma demorada conversa com o delegado Carlos Eduardo, o assaltante confessou ter passagem pela polícia e que havia fugido da cadeia de Pacajá, onde estava preso por ter praticado um assalto à mão armada. André confessou também que foi preso em flagrante pela polícia de Pacajá, no mesmo dia em que praticou o assalto contra uma vítima naquela cidade.
Segundo o delegado Carlos Eduardo, devido o foragido ter um mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça de Pacajá, ele será recambiado para aquele município, onde irar aguardar a sentença da Justiça. “Nosso serviço de investigação estava seguindo todos os passos desse elemento que estava vivendo na companhia de outros meliantes, que não possuem uma boa reputação. Estamos somente aguardando o momento exato para efetuar a prisão dos outros elementos”.
André Mafyl da Silva Neto será transferido ainda esta semana para a cidade de Pacajá, onde ficará à disposição da Justiça.

,

“Girândolas de Miritis” inaugura hoje no BASA

O universo da produção de brinquedos de miriti do município de Abaetetuba é o tema principal da exposição “Girândolas de Miritis”, que será aberta hoje no Espaço Cultural do Banco da Amazônia.
A curadoria da exposição está sob a responsabilidade do artista visual Emanuel Franco e contará com a participação de oito artesãos que produziram os brinquedos com exclusividade para a composição das instalações visuais que serão montadas nos painéis expositivos do espaço cultural.
Os brinquedos foram confeccionados pelos artesãos Amadeu Sarges, Célio Ferreira, Manoel Benedito Sozinho, Manoel Vilhena, Manoel Pantoja, Manoel de Jesus Sozinho, Manoel Miranda e Nina Abreu.
As instalações foram desenhadas com variadas distribuições dos brinquedos nos espaços, mostrando a diversidade de formas, dimensões e cores apresentadas, com destaque às identidades estéticas de produção de cada artesão participante. Além dos brinquedos no seu formato conclusivo, a exposição levará ao conhecimento do público visitante os processos de criação dos mesmos, desde os cortes nos braços da folha do miriti até as técnicas de modelagem e pintura.
A curadoria da mostra selecionou os tipos mais comuns de brinquedos, os quais vêm se destacando como ícones de todo um conjunto que, a cada ano, associa-se aos festejos do Círio de Nazaré compondo a visualidade popular nesse período religioso. Imagens típicas como a cobra, o tatu, as pombinhas, o casal de dançarinos, a roda gigante, as embarcações regionais, fazem parte dessas instalações.
Durante o período da exposição, será projetado o vídeo de animação “Miritis”, de Andrei Miralha, que faz alusão também a esse universo de produção artesanal. A mostra foi incluída na programação do Banco da Amazônia relativa às festividades do Círio de Nazaré.
O hall será decorado obedecendo a mesma temática da exposição e terá uma instalação com anjinhos de miriti confeccionados pelos mesmos artesãos que participam da mostra e ilustrados por fragmentos do romance “Girândolas”, de Daniel da Rocha Leite e fotografias de Alexandre Lima e Emanuel Franco. O design gráfico é do arquiteto Vitor Blanco.
VEJA
Exposição “Girândolas dos Miritis”. Abertura hoje, às 18h30, no Espaço Cultural do Banco da Amazônia (Av. Pres. Vargas, 800, esquina com Tv. Carlos Gomes). Informações: 4008-2869/3193. (Diário do Pará)

,

Helicóptero cai em Itaituba, no Pará

Os três tripulantes saíram sem ferimentos do pouso forçado.
Aeronave, que pertencia ao Ibama, atingiu imóvel na queda.

Nesta segunda-feira (26), por volta das 15 horas, um helicóptero do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), caiu na cidade de Itaituba, no Pará. A aeronave transportava três pessoas, mas nenhuma ficou em estado grave. O helicóptero caiu entre uma igreja e uma residência, mas não deixou nenhum ferido.

Nota da Redação: Segundo a assessoria de imprensa do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o helicóptero fez um pouso forçado às 15 horas desta segunda-feira (26/09) num terreno descampado próximo ao aeródromo de Itaituba, no oeste do Pará. O acidente ocorreu após uma pane no rotor de cauda e poucos minutos após a decolagem da aeronave.

Estavam a bordo no momento da queda apenas os três tripulantes - piloto, copiloto e mecânico - e não houve feridos. Após o pouso, a aeronave sofreu danos graves e provocou danos leves em um imóvel próximo. O helicóptero modelo “Long Ranger BH06” apoiava uma ação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e deveria seguir para o Parque Nacional da Amazônia.

,

Bolivianos protestam na capital contra rodovia em terras protegidas

Governo de Evo Morales quer construir via cortando área amazônica.
Marcha contra projeto, que já dura um mês, foi parada com violência.

Centenas de bolivianos foram às ruas de La Paz nesta segunda-feira (26) protestar contra os planos do governo de construir uma rodovia que cruzaria um território amazônico protegido. O ato também foi contra a ação de policiais na manhã do mesmo dia, quando a marcha pelo mesmo propósito, que já durava mais de um mês, foi dispersada com gás lacrimogêneo na região de Yucumo.


A estrada planejada deve ligar a província de Beni, no leste da Bolívia, à província de Cochabamba, no centro do país. Também no domingo Morales anunciou que haverá um referendo nessas províncias 'para que o povo decida se o projeto deve ou não ser executado'.

Primeiro presidente do país de ascendência indígena, Morales afirmou que o projeto da rodovia é importante para aumentar os investimentos em infraestrutura na Bolívia. Ele tem enfrentado forte resistência dos povos indígenas ao projeto de US$ 420 milhões.

A marcha de indígenas e simpatizantes contrários à rodovia começou no dia 15 de agosto na cidade de Trinidad, na Amazônia, e colocou Morales na defensiva antes de uma eleição em outubro que integra uma reforma para dar aos povos indígenas um papel maior nos assuntos de Estado.

Criado em © 2011
Desenvolvido por. Bruno Tavares | brunoperfectt@live.com

Twitter